Páginas

terça-feira, 26 de julho de 2011

Com o coração batendo a mil...

Há dias que fazem uma enorme diferença na vida da gente pela qualidade dos momentos vividos. Hoje(25/07/10) foi um deles. Meu coração bateu a mil, suei, tremi, fiquei gelada, ansiosa, ri demais e me senti com menos de 10 anos num curto espaço de tempo. Tudo porque estava na companhia de 4 queridas amigas de infância e fomos visitar a Igreja de Sant'Anna, que era uma extensão da nossa casa na  infância e adolescência.
Entramos despretensiosamente, apenas para fazer uma oração e encontrar outros amigos. Vimos a Senhora Sant"Anna (como mamãe a chamava)  fora do seu lugar habitual e a fotografamos com respeito e  reverência.
E, como meninas curiosas, começamos a  explorar partes da Igreja que eram terreno proibido para nós quando pequenas. Até meu marido participou da aventura. Primeiro, chegamos ao coro por uma imensa escada de ferro, em caracol, linda, toda trabalhada e depois subimos até a torre da Igreja, onde ficam os sinos. Escada de madeira  estreira, em caracol, depois outra escada ainda mais estreita e íngreme, também em madeira e, finalmente, lá estavam os  4 sinos, um de cada tamanho. Enormes, mas ainda muito menores do que a nossa lembrança  guardava. Pudemos olhar o nosso "território" de cima, avistar até onde a vista normalmente não alcança. Da  abertura de  cada um dos sinos, vimos lugares que nos eram muito significativos: a chácara, a subida do Belvedere, o morro atrás da Igreja, o Bispado...

Ríamos muito, nervosas, com uma sensação de estar fazendo algo errado - como quando éramos meninas obedientes- mas com uma satisfação enorme por estarmos ali, depois de 30 anos ou mais... Fotografamos tudo (e maridão nos fotografava) , exploramos a sacristia, apreciamos as imagens e os quadros, olhamos pelas aberturas possíveis, subimos várias escadas, procuramos por uma caixinha que nos assustava quando pequenas,  debruçamos nas sacadas, sempre com a sensação de que alguém apareceria , de repente, e nos daria a maior bronca por estarmos num espaço proibido para nós, como antes.
Foram momentos únicos e nenhuma palavra que eu registre aqui vai conseguir passar a dimensão e a importância da "arte" que fizemos. Que, na verdade, não era arte alguma porque éramos 6 adultos re-conhecendo a nossa Igreja. Mas, na nossa imaginação, a realidade era outra!!!  Foi incrível!!!  O tempo parou para nós nessa tarde. Trêmulas e risonhas, saímos da Igreja leves, felizes e com muitos anos a menos, com certeza.
Post editado inicialmente em 30/07/10 e reeditado em 26/07/11 - Dia de N Sra. Sant'Anna,
Mais fotos, clique  aqui.

4 comentários:

Elaine Canha disse...

Momentos como esses nos ajudam a passar pelos obstáculos da vida, pois como vivê-los se não vivermos?

Meire disse...

Que linda e emocionada lembrança!
O Rodrigo sempre comenta sobre estas lembranças...casa da vovó Conceição...brincadeiras de infância perto da igreja Sant'Ana.

Bjus...

Seus sobrinhos Meire/ Rodrigo e Ana Carolina.

Cilene disse...

Que saudade...que saudade da infância...e que felicidade poder lembrar esses momentos doces e mágicos acompanhada das amigas da infância...as palavras não conseguem mesmo descrever um momento desse, tão puro, parece que foi ontem, tão vivo dentro da gente...por isso a gente ri e chora ao mesmo tempo...de alegria...de saudade...de felicidade...que aventura deliciosa... Faça sempre artes como essa é tão bom para o coração, não é mesmo?!?!"A criança dentro da gente parece pular de alegria" Beijinhos da Ci

Roberta Crochê e Cia disse...

Amiga, tem um selinho te esperando em meu blog
Passa lá pra pegar querida.
http://robertacrocheecia.blogspot.com/2010/07/mais-um-selinho_31.html
Bjs